domingo, março 5

1-2006: Em jeito de apresentação


Minha terra é Toulões

Tanto eu como outros vós
Sou vizinho de Alcafozes
Terra que eu adoro tanto
Ao lado fica Monsanto
Idanha-a-Velha
, Medelim
Estas tamém são p´ra mim
Terras de muita valia
Monfortinho, Penha Garcia
Ficam já detrás da serra
Segura mais Salvaterra
Arrumam mesmo à fronteira
Rosmaninhal e Zebreira
Ficam lá mesmo no outeiro
Temos depois o Ladoeiro
Terra que me é querida
Aldeia de Santa Margarida,
Onde já enchi o farnel
Mesmo ao pé de São Miguel
Que da Acha é pertença
Também Oledo e Proença
E no concelho de Idanha-a-Nova
Toulões é uma freguesia nova.
JOSÉ LOURO, Abril de 1951

Estes versos foram feitos de improviso pelo ti Zé Louro, grande poeta popular e invulgar cantor do fado ao desafio, para celebrar a elevação de Toulões a freguesia em Março de 1951, numa festa ali realizada em Abril desse ano.
Tanto estes como outros versos do autor ficaram gravados na memória das pessoas de Toulões, que ao londo dos tempos os foi dizendo e cantando nas mais diversas ocasiões.
Chanesco (tchanesco): Esta palavra não tem significado definido. Tanto quer dizer parvo como esperto ou os dois em simultâneo. Terá de ser entendida de acordo com o humor de quem a profére ou com a entoação que lhe imprime.

1 comentário:

little_blue_sheep disse...

saudações!
gostei dos versos...
bem-haja pelo blog.
;)